Você já ouviu falar que analista de dados está entre as profissões que mais crescem no mundo?

Mas, para você crescer efetivamente como profissional nessa área, é preciso ter uma gama de conhecimentos e habilidades fundamentais. Infelizmente, não tem mágica!

E aqui na Indicium, nós sabemos que tudo isso é verdade. Tanto que garantimos: se você sonha com esse crescimento, se quer começar e não sabe por onde, este artigo que preparamos é para você.

Foque nesta leitura panorâmica, conheça agora um pouco da história dessa profissão, e saiba quem é essa ou esse profissional, o que se faz de verdade nessa posição, quais as habilidades fundamentais para quem deseja concorrer às melhores vagas do mercado e quanto recebe em média quem é analista de dados.

Que tal?

Temos certeza de que, depois de ler este artigo, o caminho ficará mais claro, caso você queira percorrê-lo.

Boa leitura!

Analistas de dados: quem são?

Vamos direto ao ponto!

Aqui na Indicium, analista de dados é alguém que trabalha com as nossas equipes de negócios, engenharia de dados, data science e UX design para entregar projetos desafiadores.

Como essa pessoa faz isso?

Desempenhando um papel-chave no time de data analytics, elaborando e respondendo as perguntas certas de negócios por meio de dados de diferentes fontes, e fazendo o acompanhamento de indicadores nas ferramentas de BI ou nos bancos de dados.

Analista de dados: você conhece a história dessa profissão?

Agora, aperte os cintos, pois faremos uma breve viagem pelo tempo, já que a análise de dados existe desde a Idade da Pedra. Você já se deu conta disso?

Homem das cavernas segurando uma tocha acesa com um fundo de pedras com pinturas rupestres.
O homem das cavernas já usava dados. Fonte: Gorodenkoff, Shutterstock

Desde que alcançamos um estado de consciência capaz de identificar problemas para além da nossa intuição, nós nos deparamos com fatos e dados com os quais precisávamos lidar para a nossa própria sobrevivência.

Assim, seguimos evoluindo: observando, criando explicações e tomando decisões para tudo, desde a nos proteger de fenômenos naturais até a definições sobre plantio, colheita e caça, por exemplo. E foi assim que, analisando dados, acabamos descobrindo que a Terra era (é!) redonda, e que calculamos seu raio e a distância exata dela até o Sol.

Seguindo nosso fluxo evolutivo, chegamos ao que, hoje, é conhecido por ser efetivamente o trabalho de quem é analista de dados, profissional que, graças à evolução também da computação eletrônica, deixou de atuar de modo artesanal, digamos assim, para operar milhares de vezes mais rápido do que nossos antepassados.

De lá para cá, obviamente, muita coisa mudou (ufa!).

Passamos por pestes, guerras, bombas, revoluções etc., mas seguimos evoluindo no quesito tomar as decisões mediante dados e informações recolhidas como podíamos, da forma como sabíamos e com o que tínhamos para isso. Quase nada perto de hoje.

Somente há uns 30 anos é que nós começamos a dar nome aos bois. Aparece, enfim, a ciência de dados começando a se estruturar como a temos hoje, enquanto disciplina ou campo de estudos ao qual sabiamente nos debruçamos para aprender:

[...] estatística tecnicamente rigorosa, aprendizado de máquina e computação escalável, juntamente com treinamento prático para trabalhar com dados, desenvolver visualizações significativas e comunicar-se de forma útil com uma variedade de partes interessadas não técnicas. (Press, G. in forbes.com, 2017).

Agora, com esse conhecimento ainda se organizando, quem é analista de dados atua fazendo uma parte do que envolve o todo em data science.

E, nessa atuação, reunindo as melhores e mais modernas técnicas, tem-se hoje nas mãos muito mais poder, enquanto analista de dados, para se extrair insights e fazer com que soluções muito mais assertivas sejam criadas.

Qual o papel de quem é analista de dados na equipe de data science e analytics?

A primeira coisa que já pode ficar bem esclarecida, principalmente se você está iniciando, é que analista de dados não é cientista de dados, ou engenheira/engenheiro de dados, nem engenheira/engenheiro de analytics. Essas são profissões com responsabilidades, funções e objetivos diferentes.

Quer ver?

Tabela das profissões em data science. Fonte: elaborada por Indicium Academy (2020).

Como dissemos lá no começo, fazendo parte de um time de data analytics, elaborar e responder perguntas de negócios através dos dados de diferentes fontes e realizar o acompanhamento de indicadores em ferramentas de BI ou bancos de dados serão tarefas suas, se você estiver no papel de analista de dados.

Aqui na Indicium, por exemplo, é esse personagem que atua com nossas equipes multidisciplinares para entregar projetos que contribuem para a tomada de decisão inteligente de gestores internos e de clientes.

Ou seja, analista de dados é uma pessoa-chave e que terá maior conexão com clientes finais, fazendo a entrega da inteligência construída e passando por diversos desafios para isso, como:

  • utilizar a visualização de dados e estatística básica para elaborar e responder as perguntas certas de negócio.
  • realizar consultas ad-hoc em bancos de dados e data warehouses através de linguagem SQL (que você também precisa saber).
  • construir e aprimorar relatórios estáticos e dashboards de BI.
  • desenhar e avaliar o resultado de testes A/B em conjunto com equipes de negócio.
  • desenhar e acompanhar novos indicadores de negócio.
  • acompanhar metas e reportar sua evolução à área de negócio.
  • propor novos dashboards e análises junto à área técnica de dados.
  • coordenar a implementação de indicadores e processos com base em dados dentro das áreas de negócio.

Qual o objetivo do trabalho de analista de dados?

A resposta para essa pergunta é simples: ter insights!

Sim, esse é o principal objetivo que, quem é analista de dados, precisa cumprir, depois de:

  • explorar todas as informações sobre um determinado negócio;
  • fazer a conexão das pontas soltas;
  • e transformar tudo isso em planos de ação estratégicos.

Mas analista de dados precisa de ferramentas para ter insights?

Com certeza, sim!

Analista de dados precisa de ferramentas? Fonte: Shutterstock

As ferramentas de análise são as facilitadoras do trabalho de quem é analista de dados. Elas permitem que as tarefas sejam realizadas com eficiência, rapidez e assertividade, além de auxiliarem na entrega de produtos de dados cada vez mais avançados, que serão apresentados em gráficos ou outros elementos visuais, como diagramas e mapas.

Objetivamente falando, quem quer ser analista de dados deve conhecer as ferramentas de consultas em SQL, como PostgreSQL, NoSQL etc., que são  utilizadas para explorar bancos de dados e data warehouses, que os cientistas de dados e analytics engineers prepararam previamente.

Até que chega o momento em que analistas de dados precisam, de fato, analisar os dados. É quando esse ou essa profissional de dados necessita também ter conhecimento sobre as ferramentas de business intelligence, como Tableau, Power BI, Qlik, Looker entre outras.

Por fim, para a construção e o aprimoramento de relatórios e dashboards, as ferramentas  R ou Python são as mais utilizadas e, para alegria geral, são também as mais fáceis de aprender.

E analista de dados ganha quanto, afinal?

Agora que você já sabe praticamente tudo sobre a profissão de analista de dados, deve estar se perguntando: será que esse profissional ganha bem?

A remuneração é sempre uma grande preocupação na escolha de uma profissão, e com a de analista de dados não seria diferente. A boa notícia é que esse é, de fato, um dos grandes motivadores na escolha dessa profissão.

Só que nós, da Indicium, estamos longe de querer romantizar um cenário para você. É como já dissemos: não tem milagre. Aliás, para qualquer profissão que você busque destaque, existirá um caminho de aprendizado a ser percorrido.

Mas vamos aos salários!?

Segundo o Glassdoor, uma das plataformas mais utilizadas para a consulta de salários pagos pelas empresas da nossa área, a média anual para analistas de dados no Brasil fica em R$ 69 mil.

Mesmo considerando o conhecimento e a experiência exigidos pela profissão, esse é um valor que faz brilhar, e muito, os olhos de profissionais que querem iniciar nessa carreira para ser analista de dados.

É esse o seu caso?

Quer saber como se tornar analista de dados?

Você não vai transformar-se do dia para a noite, nem em pouco tempo.

Para usar e gerenciar ferramentas, para saber programação e estatística, para conhecer mais da ciência de dados, que é uma área gigante e sempre em evolução, e usar tudo isso com propriedade, a dica da Indicium é: estude, estude muito, e estude sempre, mas nunca desista.

Até porque estar aprendendo todos os dias é premissa dessa área.

Procure por cursos e formações que tenham um viés quantitativo e analítico, visto que será com essas habilidades que você irá trabalhar todos os dias.

Ah! Inclua o inglês nesse seu checklist de aprendizado porque, se você ainda não sabe, o português não é pré-requisito nessa área, mas a língua mais falada no mundo é também a língua universal do mundo dos negócios, inclusive aqui no Brasil… Sem falar que as ferramentas, os cursos e tutoriais com os quais você irá se deparar são, em sua grande maioria, em inglês.

Por fim: leia nosso blog!

Temos muito material rico com informações sempre acessíveis que certamente serão úteis para você.

Sucesso!