Santa Catarina (SC) foi um dos primeiros estados a adotar medidas de distanciamento social no Brasil, logo após os primeiros casos confirmados de Covid-19, seguindo as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No dia 20 de março de 2020, o poder legislativo de SC decretou estado de calamidade pública, quando a unidade federativa ainda apresentava 40 casos confirmados e nenhum óbito da doença. No dia 23 de março, o governador Carlos Moisés assinou o decreto nº 550 que instituiu as medidas de isolamento social da quarentena que veio a ser estabelecida no estado, na expectativa de achatar a curva de contágio do novo coronavírus.

No dia 13 de abril, o governo do estado optou por liberar algumas atividades comerciais, desde que respeitadas uma série de regras para não acelerar o contágio.

Em 28 de abril, o governo do estado alterou a metodologia do contagem dos casos, considerando os resultados dos testes rápidos realizados pelos municípios e também contabiliza pacientes que têm quadro clínico compatível com Covid-19. Entretanto, no dia 01/05 a Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina anunciou que com essa mudança, alguns casos acabaram sendo duplicados, o que foi corrigido a partir desse 1º de maio.

Assim como o governo estadual, algumas cidades catarinenses definiram normas complementares próprias para lidar com a contenção do vírus, como por exemplo Florianópolis, Balneário Camboriú e Itapoá, com o objetivo de diminuir a velocidade do contágio para que os sistemas de saúde consigam atender os pacientes que necessitarem.

Para contribuir com a discussão a respeito do avanço do novo coronavírus em Santa Catarina e da efetividade das medidas protetivas adotadas, elaboramos este estudo e acompanhamento dos casos no estado, que será atualizado diariamente, permitindo assim ter uma melhor dimensão do que está acontecendo.

Apresentamos a seguir a evolução dos casos confirmados ao longo dos dias em Santa Catarina.

Para compreender melhor o cenário, é importante observarmos a distribuição dos casos. no estado. Assim é possível identificar situações mais críticas e que demandam mais atenção dos gestores públicos e da população em geral.

A Brasil.io tem feito o levantamento dos casos em cada estado, junto às Secretarias Estaduais de Saúde, e mantém livre o acesso a esses dados. É a partir deles que nosso estudo será baseado.

Primeiramente, apresentamos no mapa abaixo o total de casos por cidade catarinense:

Os casos, que se concentravam principalmente no litoral catarinense, avançaram para o interior, principalmente no Oeste e Vale do Itajaí.

Porém é importante avaliar a incidência do número de casos em cada cidade, uma vez que as regiões que apresentam números de casos por população mais elevados também apresentam maior risco de contágio.

Portanto, apresentamos o mapa abaixo com o número de pessoas infectadas para cada 100 mil habitantes.

Neste mapa é possível identificar pontos de atenção.

Também é possível avaliar a evolução do número de casos por cidade catarinense.

Para isso, fizemos um corte das cidades com pelo menos 10 casos confirmados e apresentamos no mapa abaixo o resultado.





Florianópolis é a cidade com mais casos. Isso já era esperado uma vez que a cidade é a capital e, por isso, apresenta maior fluxo de pessoas no seu território. No entanto, outras cidades do interior estão alcançando o mesmo número.

Além de visualizar essa evolução em escala linear é importante observar os dados de evolução em escala logarítmica pois o crescimento dos casos desse tipo de pandemia costuma apresentar crescimento exponencial. Com esse tipo de crescimento fica muito difícil ver tendências em escala linear. Por isso apresentamos os mesmo dados do gráfico anterior em escala logarítmica.





Os gráficos abaixo repetem a análise por município para as microrregiões catarinenses.

Essa análise é importante pois dentro de uma microrregião existe uma certa interdependência entre os municípios, com um trânsito de pessoas mais acentuado, por motivos econômicos e sociais. Assim, uma microrregião pode representar um único foco de casos, podendo ser analisada de forma agregada, ainda que cada município tenha medidas particulares de contenção.

Como esperado, vemos que a microrregião de Florianópolis apresenta o maior número de casos.









Outro ponto de vista que trazemos é da quantidade de óbitos pelo coronavírus no estado.  

Abaixo o gráfico contendo o total de óbitos acumulado e ao dia, registrados no estado de Santa Catarina.





Considerando que os dados de óbitos tendem a ser menos subnotificados que o de casos confirmados, fizemos uma estimativa do total de casos que deveríamos ter considerando as taxas de mortalidade dos países que estão fazendo muitos testes por milhão de habitantes.

De acordo com a Worldometers, a taxa de mortalidade por caso confirmado nos países que mais testam por milhão de habitantes fica em torno de 0,5% a 2%.





Códigos:

Os códigos utilizados estão disponíveis em: https://github.com/dpavancini/covid19

Outros links interessantes sobre o Covid-19 em SC:

Painel do Coronavírus em Santa Catarina - NSC Total

Gerência de Vigilância Epidemiológica de Florianópolis

Ana Claudia Garcia
Economista pela UFSC e Analista de Dados na Indicium Tech