Em tempo real, através de um banco de dados, a equipe de gestão de uma determinada empresa trabalha monitorando diversas informações, como os registros de vendas, o estoque e todas as transações bancárias, por exemplo.

Esse é o cenário ideal no dia a dia de uma empresa moderna. E não importa o tamanho da organização, é esse monitoramento por meio da análise de dados que garante uma gestão ágil e promissora para o sucesso do negócio.

Neste artigo, você entenderá melhor o que é um banco de dados, um conhecimento que ajudará você a ter uma gestão muito mais eficiente na sua empresa.

Vamos lá?

O que é um banco de dados?

Podemos dizer que temos um banco de dados sempre que são agrupadas informações que se relacionam e tratam de um mesmo assunto. Ele é como o equivalente eletrônico de um antigo armário cheio de arquivos onde se costuma procurar com os próprios dedos uma ficha entre muitas outras organizadas por ordem alfabética. Lembra?

Se você não lembra dessa época, vamos pensar nas planilhas de Excel, uma solução mais moderna, digamos, e que é muito utilizada para organizar, manipular e analisar dados, porém que é limitada para se trabalhar com grandes volumes de informação.

Para isso, é necessário um banco de dados, uma tecnologia complexa que envolve basicamente:

  1. a base de dados: que são os dados propriamente ditos e a própria estrutura de todo o banco de dados.
  2. um SGBD: que é a sigla em português para sistema de gerenciamento de banco de dados, que administra o conjunto de tecnologias envolvidas.
  3. linguagem de exploração: a linguagem usada para o acesso aos dados.
  4. programas adicionais: tudo que tiver de extra para a melhor administração do banco de dados, como gerenciamento de usuários, otimizadores de dados etc.

E para que você deveria investir em bancos de dados?

Bem, pensando em uma gestão eficiente para a sua empresa, um banco de dados vai trazer inúmeras vantagens, como:

  • impactos positivos na produtividade da equipe
  • mais alinhamento entre os times
  • melhores resultados financeiros
  • melhora na agilidade de entrega
  • redução dos riscos de operação
  • aumento da segurança dos dados
  • mais clareza na tomada de decisão

E temos uma boa notícia!

Com todas as tecnologias e otimizações que vêm sendo desenvolvidas sem parar, os custos para adotar um banco de dados são reduzidos, os processos são facilitados e a tomada de decisão se torna cada vez mais assertiva.

Por que investir em um banco de dados?

Além das vantagens já citadas, um dos maiores benefícios de se ter uma gestão com um banco de dados é a visão centralizada de todas as informações. Isso permite que tudo seja acessado e manuseado ​​por mais de uma pessoa simultaneamente e de maneira controlada, o que acelera muito os processos.

Sem falar que um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD):

  • possibilita o processamento de grandes quantidades de dados
  • garante a confiança das informações geradas
  • é muito mais rápido e seguro do que uma planilha de Excel, por exemplo.

Essa inteligência toda trabalha para você. Um banco de dados combina processos, pessoas, sistemas e ferramentas que, em conjunto, vão entregar visualizações intuitivas em forma de painéis e relatórios inteligentes para a sua empresa poder:

  • aumentar sua eficiência operacional
  • identificar novas oportunidades de negócios
  • economizar
  • e crescer consistentemente

Tipos de banco de dados

Embora haja muitos tipos de SGBDs, vamos falar, ainda que bem superficialmente, dos quatro principais utilizados hoje em dia. Acompanhe!

Banco de dados Relacional - SQL

É um modelo em que os registros são tabelados e estruturados em colunas e linhas, que podem se relacionar através de chaves. Esse é o tipo mais comum de banco de dados porque, com ele, é possível criar relações valiosas para a tomada de decisão.

Banco de dados não relacional - NoSQL

São modelos de bancos de dados que não usam a linguagem SQL porque lida com formatos de dados que são menos convencionais, como imagens publicadas em redes sociais, por exemplo.

Um banco de dados não relacional pode ser ideal para ambientes onde o modelo de dados é mais volátil, como para eventos em um website.

Graph

É também um tipo de NoSQL que representa os dados em um grafo de vértices e arestas. Pode ser cruzado por todo o gráfico, permitindo criar relacionamentos entre os dados e consultá-los rapidamente.

Ele é ideal para dados que estão altamente relacionados entre si, como mecanismos de recomendação ou detecção de fraudes.

Documentos

Este é um tipo de banco de dados não relacional também, mais flexível, semiestruturado e hierárquico, e que representa os dados em documentos.

Facilita o trabalho de armazenamento e consulta de dados pelas equipes de desenvolvimento porque permite usar o mesmo formato de modelo de documento usado nos códigos dos aplicativos.

Funciona bem, por exemplo, em catálogos, perfis de usuários e sistemas de gerenciamento de conteúdo, em que cada documento é único e evolui com o passar do tempo.

Exemplos de bancos de dados

Agora, conheça alguns dos SGBDs mais utilizados do mercado atualmente e que também utilizamos aqui na Indicium.

Relacional:
Oracle SQL, Microsoft SQL Server, PostgreSQL, MySQL, MariaDB.

Não relacional e Graph:
Neo4j, Azure Cosmos DB, SAP HANA, Sparksee, Oracle Spatial and Graph, OrientDB, ArrangoDB, MarkLogic.

Documentos:
ElasticSearch, Cassandra, MongoDB

Podemos ajudar você a ter um banco de dados!

Quer implementar novas tecnologias e trabalhar com um banco de dados na sua empresa?

Na Indicium, nós utilizamos as melhores e mais avançadas ferramentas para banco de dados, data warehouses e data lakes.

Nosso time é especialista e tem muita experiência ajudando empresas a conquistarem vantagem analítica em seus segmentos específicos.

Então, se você tem interesse em iniciar essa jornada, entre em contato conosco hoje mesmo: clique aqui.